01.05.2016

Redes

EQUIPE

Coordenação geral

Ana Carolina Tonetti é arquiteta, mestre e doutoranda em Projeto, Espaço e Cultura pela FAU-USP. É professora na Escola da Cidade desde 2004, onde coordena a sequência de disciplinas voltadas à expressão gráfica e o desenho.
Articula diferentes parcerias e estratégias de ação em projetos com escalas e temporalidades distintas, aproximando arte e arquitetura.

Ligia Nobre é pesquisadora, arquiteta e curadora, opera nos cruzamentos entre arte e arquitetura. Mestre em Histories and Theories pela Architectural Association School of Architecture (Londres, 1999) e doutoranda em Estética e História da Arte no PGEHA USP. Atuou na curadoria de diversos projetos, bem como a X Bienal de Arquitetura de São Paulo. Atualmente é professora da Escola da Cidade na Sequencia de Desenho e Integra o Grupo Inteiro.

Felipe Noto é arquiteto e urbanista formado pela Faculdadede Arquitetura e Urbanismo da USP e pela Facoltà di Architettura del Politecnico di Milano (Milão Itália, 1998). Mestre em História e Fundamentos da Arquitetura e do Urbanismo (2007) e Doutorando em Projeto Arquitetônico (FAUUSP). É professor de projeto arquitetônico na Escola daCidade desde 2003 e faz parte do conselho técnico.

Coordenação de edição

Gilberto Mariotti é artista e pesquisador. Doutor e Mestre em Poéticas Visuais pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e graduado em Artes Plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado. Na Associação Cultural Fórum Permanente é curador associado e Editor da Publicação Digital Periódico Permanente. É Professor na Escola da Cidade de Arquitetura e Urbanismo na disciplina de Desenho.

Edição

Joana Barossi é arquiteta, professora e escritora, estudou Jornalismo e também Arquitetura e desenvolve trabalhos que pesquisam as relações entre Arquitetura, Literatura e Ensino. Leciona na sequência de Desenho da faculdade de arquitetura Escola da Cidade e trabalha com editoração, preparação de texto e tradução.

Coordenação de atividades didático-pedagógicas

José Guilherme Pereira Leite, cientista social e mestre em arquitetura e urbanismo pela Universidade de São Paulo, é professor universitário, crítico e ensaísta. Atua também nos campos da política, da gestão, da produção cultural e da curadoria. É hoje professor e membro do Conselho Pedagógico da Escola da Cidade, onde coordena o “Seminário de Cultura e Realidade Contemporânea”.

Coordenação conselho científico

Marianna Boghosian Al Assal possui graduação em Arquitetura e Urbanismo, mestrado (2010) e doutorado em História e Fundamentos da Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo – FAUUSP (2014). Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, atuando principalmente nos seguintes temas: História da Arquitetura no século XX, gestão do Patrimônio Cultural e Educação Patrimonial.

Assistente de curadoria

Julia De Francesco, arquiteta pela Escola da Cidade, especializada em Arte, critica e curadoria pela Puc-SP. Atuou na equipe de produção da X Bienal de Arquitetura, Cai GuoQiang no CCBB-SP, Ciclo no CCBB-SP entre outras. Participou na equipe de curadoria de arquitetura da 12a Quadrienal de Praga. Foi responsável pela expografia da Exposição “Compulsão Narrativa” no Sesc Vila Mariana em 2014.

Linguagem visual

Vitor César

Julia Masagão

Plataforma digital

Claudio Bueno

Estagiários de edição e publicação

Alexandre Makhoul

Mariana Caldas

Mateus Loschi

PARTICIPANTES

Palestrantes

Margareth Rago é professora titular do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História do IFCH – UNICAMP (Instituto de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Campinas). Foi professora-visitante no Connecticut College e na Columbia University e é autora de inúmeros livros, ensaios e artigos sobre filosofia e história da filosofia.

Luiz Felipe de Alencastro é um historiador brasileiro conhecido mundialmente por seus conhecimentos em história da escravidão. Foi professor titular da Sorbonne e é professor regular do curso de pós-graduação em economia da Fundação Getúlio Vargas, em São Paulo. Publicou entre outros “O trato dos viventes”, “História da Vida privada no Brasil – volume 2: a corte e a modernidade nacional”.

José de Souza Martins é sociólogo. Foi membro da Junta de Curadores do Fundo Voluntário das Nações Unidas contra as Formas Contemporâneas de Escravidão e representante ‘pro-bono’ na comissão interministerial que preparou o Plano Nacional de Erradicação do Trabalho Infantil e do Trabalho escravo. Foi professor visitante em diversas universidades pelo mundo e no ano passado publicou “Linchamentos – a justiça popular no Brasil”, primeira parte de um extenso estudo sobre o tema.

Karina Leitão é professora doutora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAUUSP). Possui experiência como consultora junto a instituições como o Instituto Pólis, a Aliança de Cidades, o Ministério das Cidades, a FUPAM e a FESP-SP, além de diversas prefeituras, atuando na área de Planejamento Urbano e Regional, com ênfase em Políticas Urbanas, Habitação de Interesse Social e Gestão Municipal.

Paulo Arantes é filósofo e doutor em filosofia pela Universitè de Paris X – Nanterre. É professor aposentado do departamento de filosofia da USP, onde ensinou por quatro décadas. Entre artigos, ensaios e textos críticos, publicou diversos livros entre os quais, mais recentemente, “Zero à esquerda” (Conrad, 2004), “Extinção” (Boitempo, 2007) e “O novo tempo do mundo” (Boitempo, 2014).

Jônatas dos Santos Andrade é juiz há dezesseis anos, cinco dos quais como titular da 2ª Vara Federal do Trabalho de Marabá. Émembro do Comitê Executivo Nacional Judicial de Enfrentamento à Exploração do Trabalho em Condição Análoga à de Escravo e ao Tráfico de pessoas, nomeado pelo Conselho Nacional de Justiça.

Flávia Scabin é mestre e doutoranda pelo Departamento de Ciência Política da USP. Possui graduação em Direito pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC/SP). Professora e pesquisadora da FGV Direito SP em temas relacionados ao Meio Ambiente e ao Desenvolvimento, além de coordenadora da Área Ambiental do Escritório de Advocacia BKBG.

Desenvolvimento Local e Grandes Empreendimentos (IDLocal) é uma iniciativa que procura inserir o tema do desenvolvimento local na estratégia de negócio das empresas responsáveis pela instalação de grandes projetos de infraestrutura e energia no interior do Brasil, articulando-as e trazendo-as para o debate público sobre os desafios e as possibilidades de um desenvolvimento sustentável social e ambientalmente.

Coletivo 308, em atividade na cidade de Guarulhos há dez anos, é formado por integrantes com formação em artes visuais e design, atua promovendo ações em espaços públicos.Entre outras iniciativas, o coletivo organiza a B.I.G., Bienal Internacional de Guarulhos, que apresenta trabalhos em pequeno formato.

David Sperling é professor-doutor do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP e pesquisador do Núcleo de Estudos das Espacialidades Contemporâneas (NEC.USP). Membro do CEI da Sociedade Iberoamericana de Gráfica Digital (SIGraDi). Atua principalmente com os seguintes temas: espaço, tecnologia e cultura; arquitetura, interfaces entre arquitetura e arte contemporâneas, cartografias e mapeamentos, processos de projeto e fabricação digital.

Hervé Thery possui Graduação em História e Geografia, mestrado e doutorado em Geografia. Atualmente é pesquisador do Centre Nationale de la Recherche Scientifique, professor convidado da USP, pesquisador convidado da Universidade de Brasília, e coordenador editorial da revista Confins (www.confins.revues.org). Participa do Comitê editorial das revistas Espace Géographique e M@appemonde (Online) e dos grupos de pesquisa sobre políticas públicas e desenvolvimento sustentável.

Neli Aparecida de Mello-Théry graduada em Geografia, com mestrado em Arquitetura e Urbanismo e Géographie et Pratique du Développement e doutorado em Geografia. Atualmente é professora associada da Universidade de São Paulo. Suas temáticas de pesquisa são as dinâmicas territoriais, políticas públicas e gestão ambiental, gestão urbana e ordenamento territorial e terras públicas federais na Amazônia e o meio ambiente. Exerceu funções de direção no IBAMA, SEMATEC-DF, MMA e coordenou o curso de gestão ambiental da EACH-USP. É coordenadora editorial da Revista Confins (www.confins.revues.org).

Fabiana Severo é mestre pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP), com foco no tema Trabalho escravo contemporâneo, é coordenadora do Grupo de Trabalho de Erradicação do Trabalho escravo da Defensoria Pública da União, que elabora estratégias de atuação dirigidas à erradicação do Trabalho escravo e à integração da DPU à rede de proteção da população em situação vulnerável.

Ronaldo Vasconcelos é sócio do Escritório Lucon Advogados, onde atua como advogado na área de contencioso relacionado a Direito Empresarial, Público e Falimentar. É doutor e Mestre em Direito Processual Civil pela Universidade de São Paulo e professor do Departamento de Direito Processual Civil e Comercial da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

INSTITUIÇÕES

Vinícius Spricigo. Doutor pela ECA/USP, foi Curador Associado ao Fórum Permanente (2006-2008) e à Associação Cultural Videobrasil. Realizou pesquisa de pós-doutorado junto ao Centro Interdisciplinar de Semiótica da Cultura e da Mídia (CISC) da PUC/SP, no Interdisziplinäres Institut für Historische Anthropologie da Freie Universität Berlin (2012) e no programa Art dans la Mondialisation do Institut National de Histoire de l’Art (2013).

O Grupo de Pesquisa NEC.USP, vinculado ao Instituto de Arquitetura e Urbanismo da USP em São Carlos) investiga as transformações espaciais e culturais que têm caracterizado o mundo contemporâneo a partir das inter-relações entre arquitetura, arte, cidade e sociedade.

Professores/pesquisadores:
David M. Sperling
Fábio Lopes de Souza Santos
Luciano B. da Costa
Ruy Sardinha Lopes

Ícaro Vilaça é mestre em Arquitetura e Urbanismo pela FAU USP. Atua como arquiteto apoiando movimentos populares na produção de moradias e equipamentos comunitários por mutirão e autogestão na assessoria técnica Usina CTAH. Em paralelo, tem desenvolvido e participado de diversos projetos culturais relacionados aos campos da arquitetura, urbanismo e artes visuais.

Raquel Garbelotti é artista e pesquisadora. Doutora pela ECA/USP em 2011. Docente na Universidade Federal do ES – UFES desde 2004. Sua pesquisa relaciona-se com os problemas da vídeo-instalação e o cinema de exposição, da qual apresentou desdobramentos em exposições no Brasil e exterior; como o vídeo (Involuntary Movement) realizado para a exposição SNEZZE 80X80, na Gazon Rouge Gallery, Atenas/ Grécia em 2004. Desde 2002 trabalha com questões do vídeo e vídeo-instalações: como em projeto apresentado na 25a Bienal de SP (BOA VISTA) em 2002, também o trabalho em vídeo e maquete na exposição coletiva COVER = Encenação + Repetição no MAM de SP em 2008.

Graziella do Ó Rocha. Doutora em Política Social pela Universidade Federal Fluminense-UFF. Pesquisadora vinculada ao Grupo de Pesquisa Trabalho escravo Contemporâneo (GPTEC) da Universidade Federal do Rio de Janeiro- UFRJ. Foi superintendente de Direitos Humanos, coordenadora do Núcleo de Enfrentamento ao Tráfico de pessoas e da Comissão de Erradicação do Trabalho escravo do Estado do Rio de Janeiro. Atualmente é pesquisadora da ONG Associação Brasileira de Defesa da Mulher, Infância e Juventude (Asbrad).

Professores orientadores:

Anália Amorim é Doutora em Arquitetura e Urbanismo pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (1998). Atualmente é professora da FAU-USP, professora e presidente da Associação Escola da Cidade. Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Planejamento e Projetos da Edificação. Mantém atividades de projeto no seu escritório desde 1984.

Amália Cristovão dos Santos é formada e mestra pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, onde também conduz sua pesquisa de doutorado. Leciona na Sequência de História da Escola da Cidade  e investiga principalmente temas de povoamento e população na América portuguesa, trabalhando a articulação entre aspectos materiais, políticos e o imaginário.

Guilherme Moreira Petrella é arquiteto e urbanista com graduação (1996-2002), mestrado (2006-2009) e doutorado em andamento (2013-2017) na FAU-USP. Publicou o livro Das Fronteiras do conjunto ao Conjunto das fronteiras, pela Editora Annablume e Fapesp em 2012 e diversos artigos. Desenvolve trabalhos próprios de arquitetura e urbanismo desde 2002 e é professor de projeto de arquitetura na Escola da Cidade e na Universidade São Judas Tadeu.

José Guilherme Schutzer, bacharel em Geografia pelo Departamentode Geografia da FFLCH/USP(1985); Mestrado em Estruturas Ambientais Urbanas pela FAU/USP (2005); Doutorado em Geografia Física/Geomorfologia pelo Departamento de Geografia da FFLCH/USP(2011). Atua como Docente nas disciplinas de Urbanismo e de Desenho da Paisagem e do Ambiente na Escola da Cidade e na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo.

José Paulo Gouvêa, arquiteto (2004), mestre (2010) e doutorando pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP. Professor de projeto da Escola da Cidade, onde é editor da Editora da Cidade. É autor, junto com Catherine Otondo, do livro “Itinerarios de Arquitectura IT06: Paulo Mendes da Rocha”, (Fundación de Arquitectura Contemporárea, Cordoba – Espanha, 2012). Coordena o escritório JPG.ARQ na cidade de São Paulo desde 2005.

Marta Lagreca é arquiteta e urbanista, Mestre e Doutora pela FAUUSP com pós-graduação em Barcelona UPC ETSAB. Tem experiência em coordenação e elaboração de projetos urbanos e territoriais envolvendo planos de gestão, operações urbanas, infraestrutura, habitação e recuperação ambiental em áreas debaixa renda. Atualmente é sócia-diretora da LagrecaManetti Arquitetos Associados e é professora de Urbanismo daEscola da Cidade.

A Papel Social é uma organização que desenvolve, no campo da Pesquisa e da Comunicação, projetos comprometidos com os Direitos Humanos. Tem como missão trabalhar em parceria com organizações da sociedade civil e empresas empenhadas na identificação de violações ambientais, de direitos humanos e de condições de trabalho, com o objetivo de mapear desafios e encaminhar soluções.

Pedro Lopes é graduado em Ciências Sociais, mestre e doutorando em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo (USP), tendo realizado mestrado sanduíche na Universidade de Princeton (NJ/EUA). É pesquisador, atuando principalmente nos seguintes temas:antropologia, marcadores sociais da diferença, antropologia urbana, raça, gênero, sexualidade, deficiência, Brasil, África do Sul e direitos humanos. É professor da Escola da Cidade.

Valdemir Lúcio Rosa é arquiteto e urbanista, graduado pela PUC-Campinas, atualmente é professor da Escola da Cidade. Desde 1983 pesquisa pré-fabricação com argamassa armada. Sócio e diretor de fábrica de pré-fabricados em Paulínia (2003/2010), estudos de Habitação para o Haiti, estudos para implantação de sistemas pré-fabricados para Nigéria (2013). Desde 1999 é Sócio/Diretor da VLR Arquitetura e Urbanismo.

©2017 KLEO Template a premium and multipurpose theme from Seventh Queen

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?