23.11.2016

CONTRA-INTERVENÇÕES: David Sperling + NEC/USP São Carlos + Vania Medeiros + Coletivo Metade + Em paralelo

Clarissa Mohany Graziano

No âmbito do Projeto Contracondutas, a Escola da Cidade abriu espaço aos autores das propostas de Intervenção Pública – escolhidas por meio de uma chama aberta –, para uma conversa para discutir, comentar e refinar de modo coletivo os seus projetos. Da denúncia ao dispositivo de reflexão, as propostas apresentadas buscam problematizar, investigar e comunicar as relações contemporâneas de trabalho. Atuando nos mais variados campos, artistas, grupos e coletivos elaboram desde publicações até instalações que abordassem a questão do trabalho e o caso do Terminal 3 de Guarulhos.

Os estudantes de Curitiba, autores do projeto Em Paralelo1, relatam que desembarcar pela primeira vez no Terminal 3 de Guarulhos fez com que pudessem compreender a dimensão e complexidade do local – a intervenção deveria ser muito mais “grosseira” para que não passasse despercebida e pudesse ser impulsionada. Assim, adesivos e bonecos que representam os trabalhadores serão espalhadores com mensagens que façam com que os transeuntes se aproximem da realidade relativa ao processo de construção daquele local, de modo que as informações coletadas se tornem parte do espaço.

Outro projeto que pretende uma intervenção, é o proposto pelo Coletivo 308 – grupo que possui experiência em trabalhos com espaços de visibilidade pública – que irá recuperar um projeto já realizado anteriormente, com destaque para a questão da mobilidade urbana, fabricando miniaturas de aviões de papel em cerâmica para discutir a questão do trabalho manual e as antigas olarias de Guarulhos.

Enquanto uns atuam no espaço outros dedicam-se à pesquisas que resultarão em publicações, como a do trabalho proposto por professores e alunos do Núcleo de Estudos das Espacialidades Contemporâneas da USP São Carlos, que busca pensar as novas espacialidades articulando arte, arquitetura e pensamento social. David Sperling, coordenador do grupo, explica que a ideia é tornar visíveis informações invisíveis – evitando discursos e linguagens próprias da denúncia, mas tratando o fato de maneira mais indireta – demarcando os espaços servidos para revelar espaços de serviço, formais e análogos ao escravo.

Ao mesmo tempo que GRU-1112
discute o embate entre cidade e aeroporto, os dispositivos geradores de comportamento – que oscilam entre controle e entretenimento – para propor um livro narrativo com textos sobre a flexibilização do trabalho e a economia criativa, a artista visual Vânia Medeiros convida trabalhadores da construção civil para criar cadernos com desenhos de suas rotinas na obra. A proposta resultou no trabalho Caderno de Campo3
, onde registrar a jornada de trabalho era dar liberdade para que o próprio desenho fizesse refletir sobre o que é certo e errado, criando um diálogo com o que é observado e problematizando as relações cotidianas de trabalho. Se o que desenhamos está em nossa imaginação e é o retrato daquilo que vivemos, começamos a nos questionar sobre a existência de um pensamento visual e, se ele existe, o que o diferencia do pensamento verbal.4

Assim como Vânia, o Coletivo Metade também tem os trabalhadores como contribuintes deste projeto que pretende viajar pelos estados da Bahia, Sergipe e Pernambuco trabalhando com a noção de rede ao fazer contato com os trabalhadores envolvidos no caso do Terminal 3 – a dupla esclarece que o intuito não é tratar o acontecimento em si, mas a noção de trabalho. Centoeonze5
pretende espalhar pelo aeroporto 111 carrinhos de bagagem com palavras-chave, de modo que o trabalho se especialize para posteriormente construir uma plataforma online que traduza esses encontros. Diversas linguagens estão sendo experimentadas para a proposta de Intervenção Pública assim, Mise-en-scéne6
de Raquel Garbelotti propõe um filme como site specific para explorar a experiência do espectador dentro de um espaço como o alojamento que abrigou os trabalhadores, a partir de uma maquete da residência como cenário, somada às diferentes iluminações que compunham aquele ambiente.

Discutir as relações cotidianas de trabalho tem se mostrado cada vez mais necessário, principalmente em mundo que possui cerca de 46 milhões de escravos nos dias de hoje7 e, trazer esta questão para o Espaço Público através de intervenções é fazer com que o público participe das ações e tenha conhecimento dessa realidade. Envolver os trabalhadores na construção das intervenções e fazer deles contribuintes, permite que eles reflitam sobre sua rotina de trabalho para que possam se posicionar e agir. As propostas apresentadas, em suas mais variadas linguagens, também se concentram em discutir, além do trabalho contemporâneo, o Aeroporto de Guarulhos – uma vez que, como explicam os autores da proposta GRU-111, este é um dispositivo espacial de produção de comportamentos em escala local e global para além da arquitetônica – o que gera questionamentos sobre visibilidade e a questão do não lugar – para quem é e não é – a partir da revelação dos espaços de serviço.

Estabelecer relações entre as diferentes intervenções, diferenciando intervenção de interação e refletindo sobre o que caracteriza uma intervenção pública, aceitando o desafio de construir algo coletivo que possa aproximar as intervenções não só do públicos, mas de Guarulhos, foram pontos levantados pelos alunos da UNIFESP a serem debatidos para pensar a questão da mediação e da comunicação entre alunos e Contracondutas.

Notas de Rodapé

  1. Em Paralelo – Danielli Costa Wal, Guilherme Akio NojimaGarmatter, Mayara Wal. Milene Gil, Semyramys Monastier. http://www.ct-escoladacidade.org/contracondutas/intervencoes/em-paralelo/
  2. GRU-111 – NEC.USP
    http://www.ct-escoladacidade.org/contracondutas/intervencoes/gru111/
  3. Caderno de Campo – Vânia Medeiros
    http://www.ct-escoladacidade.org/contracondutas/intervencoes/caderno-de-campo/
  4. Luis Claudio Mubarac – Desenho, Dibuxo e Disegno
    http://escoladacidade.org/bau/luis-claudio-mubarac-desenho-dibuxo-e-disegno/
  5. Centoeonze – Ana Tranchesi e Isabela Beneduci Assad
    http://www.ct-escoladacidade.org/contracondutas/intervencoes/centoeonze/
  6. Mise-en-scéne – Raquel Gaberlotti
    http://www.ct-escoladacidade.org/contracondutas/intervencoes/mise-en-scene-maquete/
  7. New York Times, Modern Slavery Estimated to Trap 45 Million People Worldwide: http://www.nytimes.com/2016/06/01/world/asia/global-slavery-index.html?_r=0

©2020 KLEO Template a premium and multipurpose theme from Seventh Queen

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?